Lucía Barbuto é a primeira presidente no futebol argentino

Ela ocupará o principal cargo administrativo do Club Atlético Banfield

Publicado em 08/10/2018
lucía-barbuto-sorridente-em-um-evento-social

Foto: Lucía Barbuto será oficializada ao cargo na quarta-feira (arquivo pessoal)

Mesmo sem entrar em campo, Lúcia Barbuto está muito perto de fazer história no futebol argentino. Nesta quarta-feira (10) ela toma posse como a primeira mulher eleita à presidência de um clube da primeira divisão no país. Ela será a presidente do Club Atlético Banfield, equipe da cidade de Lomas de Zamora, na região da Grande Buenos Aires, campeã argentina em 2009.

Após fazer história, Lucía quer inspirar novas candidatas

A nova mandatária do clube tem 33 anos, é graduada em obstetrícia e atuava na contabilidade da gestão de Eduardo Spinoza, líder do mandato anterior. Nas eleições realizadas em setembro, a chapa única encabeçada por Lucía foi oficializada como vencedora.

Em entrevista à agência de notícias EFE, Barbuto disse esperar que seu pioneirismo inspire outras mulheres: “Vamos torcer para que seja assim e que uma boa administração minha abra as portas para muitas mulheres presidentes”.

Em 1971, o Platense, também da Argentina, teve uma mulher na presidência. No entanto, Natividad Gallego de Marcovecchio ocupou o cargo apenas após a renúncia dos antecessores. Assim, Lucía Barbuto carrega o pioneirismo de vencer as eleições de um clube local.

Outras equipes em divisões de acesso da Argentina já tiveram mulheres na presidência, mas é a primeira vez em que uma mulher é eleita para um time de primeira divisão.

Mulheres na liderança de equipes nacionais e internacionais

Apesar do ineditismo na Argentina, ter mulheres na presidência de clubes de futebol já é uma realidade em diversos lugares. No Brasil, Patrícia Amorim foi a mandatária do Flamengo e liderou o clube mais popular do país entre 2009 e 2012. Outro exemplo vem da Espanha, onde María Victoria Pavón comprou o Leganés há dez anos e assumiu a presidência. De lá para cá, com María Victoria na liderança, o Leganés saiu da terceira divisão e hoje participa do principal campeonato da Espanha.